Investigue quem você é, pois não há nada que você deva fazer ou mudar para ser aquilo que você é. Existem coisas porém que convém você reconhecer para deixar de buscar ser aquilo que você não é.

Qual é o motivo da minha ação?

Motivação é aquele movimento interno que nos leva à ação, um impulso que faz com que ajamos para atingir uma meta, um conjunto de motivos que se manifesta e influencia a nossa conduta ou ainda é a causa ou razão que ativa um resultado.

Envolve fenômenos emocionais, biológicos e sociais, sendo o processo responsável por iniciar, direcionar e manter comportamentos relacionados ao cumprimento de objetivos. Pesquisadores como: Skinner, Maslow, Kurt Lewin e Herzberg teorizaram sobre o tema.

Aquilo que estou querendo dizer a vocês é o seguinte: assim como o artista, também nós realizamos constantemente obras, escolhas. Se o projeto que iniciamos está de acordo com aquilo que somos, sentimos que algo plana, se aquieta, caminha bem. Se, ao invés não é assim, surge a insatisfação, a ideia de estar ficando para trás, que estamos perdendo algo.

Somos movimento, pensamos, agimos, pois, como refere Meneghetti: “se o pensante não fala, não existe lógica, técnica, história, realização. Falar significa formalizar, arquitetar, constituir”.

Convém, com simplicidade, perceber que ao realizarmos um trabalho, grande ou pequeno que este seja, algo nos impulsionou em direção a ele e, se está presente a motivação, o amor por aquela atividade, o único preço que pagamos é nosso empenho diligente no exercício daquela ação.

O que ganhamos? Satisfação, alegria, paz.

Atenção aos movimentos das nossas ações!

Me convém?

Até o nosso próximo passo!